Plano de saúde coletivo ou individual?

Ter um plano de saúde não é mais considerado um luxo ou uma condição para poucas pessoas. Cada vez mais pessoas estão procurando planos adequados ao seu estilo de vida para fugir das longas filas do Sistema Único de Saúde, que raramente funciona bem e acaba sendo um tormento para as pessoas de mais idade.

Porém, procurar um plano de saúde individual pode sair mais caro do que se imagina. Isto porque para fechar o contrato para uma pessoa só a operadora de plano de saúde oferece o valor de tabela cheia, sem falar dos valores de co-participação. A co-participação é aquela porcentagem cobrada por cada consulta, exame ou demais procedimentos realizados, sempre baseada na tabela do médico, clínica ou hospital. Por exemplo, se uma consulta custa R$ 100 para o médico, será cobrado do paciente uma média de 15% deste valor, ou seja, R$ 15, além do valor fixo do plano de saúde.

Saúde do IdosoA melhor maneira de se contratar um plano de saúde, hoje em dia, é por contratos corporativos. Para isto é necessário que a pessoa esteja vinculada a uma empresa, sindicato ou associação. O plano corporativo é mais vantajoso devido ao valor fixo cobrado, muito menor, por ser fechado em grandes grupos de pessoas, além de não conter a co-participação. Mais de 77% dos usuários de planos de saúde, aderiram ao contrato corporativo. Por este motivo, há uma grande redução do número de pessoas em busca de um plano individual, favorecendo ainda mais o aumento dos valores. Isso acaba complicando a situação dos aposentados, que vão ficando cada vez mais sem opções.

Além de ser uma proposta vantajosa para os consumidores, os planos coletivos também são muito vantajosos para as operadoras de convênios, pois os valores são reajustados anualmente, baseados nas taxas do Governo Federal. Ao contratar um plano de saúde, o consumidor necessita preencher um formulário, listando as doenças pré-existentes e demais informações. Desta forma, o plano de saúde pode recusar o cliente, caso tenha algum tipo de doença ou idade muito avançada. Já nos planos individuais, tal recusa é proibida.

Algumas operadoras de planos de saúde, como a Bradesco Seguros, já não oferecem contratos individuais, atendendo somente empresas. E outras, como a Unimed, já estão reduzindo sua clientela de planos individuais e investindo mais nos planos coletivos.

*com informações do site http://www.segurarsaude.com.br